13 perguntas e respostas sobre a Fisioterapia Cardiopulmonar


>




A fisioterapia aplicada à cardiologia e pneumologia tem por objetivos prevenir e tratar doenças cardiopulmonares e suas complicações. Como o sistema cardíaco e respiratório estão intimamente interligados, afecções em um destes sistemas geralmente comprometem todo o sistema cardiorrespiratório e são muito deletérias ou fatais aos pacientes.

Quando diagnosticadas precocemente, estas doenças podem ser perfeitamente controladas ou até mesmo revertidas. Infelizmente, a evolução da disfunção muitas vezes é silenciosa e o paciente assintomático e quando surge os primeiros sintomas, o quadro já encontra-se bastante grave. A fisioterapia tem papel importante na fase hospitalar, caso o paciente esteja em uma unidade de atendimento intensivo (UTI) ou enfermaria e é primordial para reabilitação do paciente em sua casa. Usualmente, os principais acometidos são pessoas mais idosas, que possuem maus hábitos de vida, problemas genéticos ou alérgicos. O atendimento na casa do paciente visa orientar o mesmo e sua família sobre mudanças no estilo de vida e abranger de forma ampla todos os aspectos envolvidos direta ou indiretamente na doença e quadro médico apresentado. Nosso intuito é oferecer qualidade no atendimento e uma interação multiprofissional com o enfermo em todos os âmbitos de seu convívio. A fisioterapia cardiorrespiratória a domicílio tem por objetivo uma reabilitação cardiopulmonar no paciente crítico, semi-crítico e estável.

Mas o que é Reabilitação cardiopulmonar?

A reabilitação cardiopulmonar é a interação de todos os cuidados médicos necessários para tratar cardiopatas e pneumopatas, visando evitar maiores complicações da doença de base que o paciente apresente. A reabilitação não se prende apenas em reverter o quadro médico apresentado, ela envolve melhorias físicas, mentais e sociais ao paciente, permitindo-os retornar o quanto antes à sua vida normal e produtiva de acordo com as limitações apresentadas.

Quando iniciar a reabilitação cardiopulmonar?

Ela deve ser precoce, de preferência logo após o diagnóstico da doença. Caso já tenha ocorrido algum evento cardíaco ou pulmonar grave e o paciente necessite ser hospitalizado, a reabilitação deve iniciar na própria UTI e se estender ao convívio social do mesmo. A reabilitação se divide em 4 fases que evoluem de acordo com o progresso do paciente e seu estado de saúde.

Que tipos de exercícios serão desenvolvidos pelo fisioterapeuta durante o tratamento?

Todos os exercícios deverão ser rigorosamente planejados, adaptados e supervisionados antes, durante e após os treinamento diário. Serão realizadas atividades para aumentar a capacidade aeróbica, melhorar a resistência aos esforços e principalmente condicionar o sistema cardíaco e respiratório. Logicamente o plano de tratamento irá depender do perfil do paciente e de sua estabilidade clínica. Atividades com membros superiores, inferiores, tronco, exercícios respiratórios, exercícios para mobilizar e eliminar secreções, deverão ser prescritos. Além de atividades para controle da pressão, diabetes e obesidade, orientações para melhorar o estilo de vida como abandono ao tabagismo, alimentação saudável e redução da ansiedade serão repassadas pelo profissional ao paciente e sua família. A freqüência, carga e intensidade dos exercícios vão depender da evolução e adesão do tratamento.

Por que fazer fisioterapia à domicílio?

A fisioterapia em casa vai permitir a todos os envolvidos, paciente, família e fisioterapeuta acompanhar de forma mais abrangente as principais limitações e progressos do tratamento. Ainda vai proporcionar maior comodidade e conforto, fortalecendo o vínculo do paciente com o profissional e portanto a adesão à reabilitação. Em casa, naturalmente todos estarão mais à vontade para expor seus limites e capacidades e assim teremos mais condições de oferecer as melhores orientações otimizando as sessões de uma forma geral.

Por que existe ligação do sistema respiratório com o sistema cardíaco?

Para o perfeito funcionamento do nosso organismo, todos os sistemas devem estar em boas condições de saúde, pois todos estão interligados e disfunções em qualquer parte do nosso corpo pode levar à alterações sistêmicas e graves conseqüências gerais. No entanto, os aparelhos cardiovascular e respiratório funcionam como uma unidade única e complexa para manutenção das nossas necessidades mais emergentes e essenciais. Resumidamente, o coração é o órgão responsável por bombear sangue para todas as partes do nosso corpo e levar oxigênio à cada uma de nossas células, o sangue passa pelos nossos pulmões cheios de gás-carbônico e lá são purificados, pois há uma troca deste gás pelo oxigênio. Sendo assim, qualquer disfunção nas unidades pulmonares podem comprometer o pleno funcionamento cardíaco ou vice-versa.

Quais são as principais doenças respiratórias?

As principais doenças respiratórias são: doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), asma, fibrose cística, bronquiectasia, pneumonia, edema agudo de pulmão, síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA), fibrose pulmonar, atelectasia, pneumotórax, hemotórax, derrame pleural, tuberculose e embolia pulmonar.

Quais as causas das doenças respiratórias?

As causas são diversas e nem sempre podem ser prontamente esclarecidas. Elas são variáveis e envolvem alterações genéticas como por exemplo fibrose cística, problemas alérgicos como asma, maus hábitos de vida como DPOC ou traumas como hemotórax.

Quais os principais sintomas das doenças respiratórias?

Os sintomas, assim como suas conseqüências dependerão da doença de base, mas a maioria dos pacientes apresentam dispnéia (sensação de falta de ar), acúmulo de secreção nas vias aéreas, dificuldades para realizar atividades do dia a dia (baixa resistência aeróbica), tosse, dores no peito ou chieira torácica. As conseqüências podem ser sistêmicas, como infecções, emagrecimento rápido e fraqueza muscular geral.

Como a fisioterapia pode ajudar no tratamento de doenças respiratórias?

A fisioterapia vai prevenir complicações como infecções ou aceleramento da doença. O tratamento tem por objetivo a higiene das vias aéreas com exercícios para eliminar secreção, melhorando a capacidade respiratória do indivíduo e seu bem estar geral. Os exercícios também visam trabalhar a força e resistência da musculatura respiratória, melhorar a postura do paciente otimizando a função de todo o aparelho pulmonar e estimular uma reabilitação ampla de todos os aspectos físicos, sociais e emocionais do paciente, para que o mesmo retorne à sua vida normal com qualidade e independência. Em casa, o tratamento é individualizado tornando a sessão mais rica e produtiva para otimização da função e aumento da participação de toda a família no processo de reabilitação.

Quais são as principais doenças cardíacas?

As principais doenças cardíacas são: doença arterial coronariana (arteriosclerose), hipertensão arterial sistêmica(HAS), insuficiência cardíaca, infarto e angina, disfunções das válvulas cardíacas (estenoses ou insuficiências), febre reumática, doença vascular periférica,

Quais são as causas das doenças cardíacas?

As causas são multifatorias e se interligam. É improvável estabelecer um fator único e específico, pois estes são geralmente fruto de uma longa trajetória de um estilo de vida pouco saudável. Os fatores de risco são comuns à quase todas cardiopatias e envolvem tabagismo, colesterol alto, diabetes, sedentarismo, obesidade, maus hábitos alimentares, idade, sexo. Porém nem todas as causas são derivadas destes fatores que podem ser evitados, sendo que algumas doenças cardíacas podem ser devido infecções,como por exemplo a febre reumática ou problemas anatômicos, como as estenoses ou insuficiências de válvulas. O importante é ter em mente que devido uma afecção inicial outras poderão surgir em virtude da estreita relação e interdependência do bom funcionamento de todo órgão cardíaco e seus vasos sanguíneos.

Quais os principais sintomas das doenças cardíacas?

Os sintomas são bastante parecidos e de forma geral se manifestam de forma lenta e insidiosa. Os cardiopatas costumam reclamar de cansaço ao executar atividades que demandam um maior gasto energético ou até mesmo atividades mais leves. Podem relatar também dor no peito, dificuldade para respirar, suam em excesso ao executar atividades simples, tonteira ou mal estar. Se não tratada, a doença progride e poderá trazer conseqüências graves ou fatais à pessoa.

Como a fisioterapia pode ajudar no tratamento de doenças cardíacas?

A fisioterapia deve ser incorporada num programa de tratamento médico o quão precoce possível. O cardiopata, que usualmente apresenta maus hábitos de vida, deverá receber orientações comportamentais para melhorar sua qualidade de vida. Exercícios físicos dentro dos seus limites de saúde, irão otimizar o sistema cardiovascular e progressivamente a resistência para executar as atividades diárias. Devido a gravidade de qualquer cardiopatia é fundamental que a fisioterapia seja realizada de forma individualizada e supervisionada. Toda alteração positiva ou negativa no quadro de saúde do paciente deverá ser informada ao profissional que deverá tomar as providências necessárias e cabíveis ás possibilidades do mesmo. A interação do profissional com a família também é de suma importância, já que as mudanças não se restringem somente ao cardiopata, elas envolvem todos responsáveis e interessados na reabilitação cardíaca e bem estar geral do indivíduo.


13 perguntas e respostas sobre a Fisioterapia Cardiopulmonar 13 perguntas e respostas sobre a Fisioterapia Cardiopulmonar Revisado by Faça Fisioterapia on 06:14 Nota: 5