Hipertensos são mais vulneráveis ao Coronavírus










Hipertensos (pessoas com pressão alta) estão entre os grupos mais vulneráveis a complicações da doença Covid-19, causada pelo novo coronavírus. Relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde colocam os hipertensos entre os mais suscetíveis a essa enfermidade.

Segundo o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Hipertensão, Luiz Bortolotto, e o alergista Marcelo Bossois, uma série de fatores colabora para que esse grupo seja mais afetado que a população em geral. Veja, abaixo, alguns deles:

  • O vírus pode afetar o músculo cardíaco dos pacientes, que já têm o coração sobrecarregado, e causar miocardite (inflamação do miocárdio)
  • Pode gerar necrose pulmonar, com acúmulo de líquido no pulmão
  • Vírus anula a ação de medicamentos para controle de pressão arterial

Veja os cuidados específicos que os hipertensos devem tomar:

  • Estar com a pressão arterial controlada
  • Estar com as vacinas em dia
  • Procurar ajuda médica imediatamente após o aparecimento do primeiro sintoma

As outras recomendações, segundo o médico, são as mesmas destinadas a outras faixas da população: lavar bem as mãos, evitar ambientes com multidões e manter o corpo saudável, com dieta balanceada e exercícios frequentes.

Conheça os sintomas:

Os sintomas mais comuns do coronavírus são febre, cansaço e tosse seca. Algumas pessoas podem ter dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarreia. Esses sintomas, geralmente, são leves e começam de forma gradual.

Alguns pacientes infectados por coronavírus podem não apresentar sintomas. A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem tratamento especial. Aproximadamente 1 em cada 6 pessoas infectadas fica gravemente doente e desenvolve dificuldade para respirar.

Idosos e pessoas com problemas cardíacos, pressão alta ou diabetes têm maior probabilidade de desenvolver doenças graves.

Devem procurar atendimento médico pessoas com febre, tosse e dificuldade em respirar.

A transmissão do coronavírus ocorre entre pessoas. A doença pode se espalhar por meio de pequenas gotículas do nariz ou da boca. Essas gotículas podem ficar depositadas em objetos e superfícies ao redor da pessoa infectada. Outras pessoas podem se infectar tocando esses objetos ou superfícies e, depois, tocando nos seus olhos, nariz e boca.

Entenda os riscos aos hipertensos

Os hipertensos estão entre os grupos que podem desenvolver casos mais severos da Covid-19. As complicações mais graves estão ligadas ao pulmão e ao coração.

"As infecções em geral aumentam o metabolismo e podem agravar o quadro do paciente", explica Bossois. Com a aceleração, o organismo fica desregulado e apresenta sintomas como febre e fraqueza com mais intensidade.

O vírus também impede a ação de medicamentos inibidores da enzima conversora da angiotensina (ECA), usada para reduzir a pressão arterial, segundo Bossois.

Cuidados a tomar

O principal fator é controlar a pressão arterial para não danificar órgãos e sistemas e não deixar o organismo já deteriorado diante da chegada de uma infecção.

Os especialistas também indicam o controle das condições respiratórias, evitar outras infecções e estar com as vacinas em dia.

A prevenção é igual para todo mundo. A gente reforça para este grupo porque, se eles forem infectados, têm mais risco de morte. Todo hipertenso deve ser vacinado contra a gripe e acompanhar seu estado de saúde com frequência.


Dicas de prevenção contra o coronavírus — Foto: Arte/G1

Dicas de prevenção contra o coronavírus — Foto: Arte/


  • EBOOK GRATUITO: Como prescrever exercício na insuficiência cardíaca

  • Tenho indicações para você aprofundar seus estudos em Cardiologia. Espia só:
  • Curso de Eletroterapia Aplicado à Prática Clínica
  • Curso de Eletrocardiograma Básico
  • Curso Completo de Reabilitação Pós COVID + Bônus
  • Curso Online de Fisioterapia Aplicada à Cardiologia


  • Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.