Fatores que influem na Angina no Peito


>





Doenças intercorrentes.

Hipertensão, diabetes ou outras doenças (anemia, doenças da tireóide, etc) devem ser tratadas de forma adequada, tanto para uma melhor prevenção secundária, o controle adequado dos sintomas.

Fumar.

Envolve o fator de risco mais importante reversível na maioria dos pacientes. Há abundante evidência de estudos observacionais, não só da sua importância como fator de risco, mas que o seu abandono reduz o risco cardiovascular (16). Programas de cessação e transdérmica de nicotina são úteis para a cessação tabágica.

O consumo de álcool.

Deve ser limitado, apesar de um consumo moderado (1-2 copos de vinho por dia) não mostrou ser prejudicial (9). bebidas estimulantes (café, chá, cola) não são contra-indicados, mas recomendamos o uso moderado como um aumento temporário na demanda de oxigênio do miocárdio.

Dieta.

Nós recomendamos uma dieta rica em vegetais, legumes, peixe, frutas, aves e cereais (se dirigido a dislipidemia), bem como a utilização de óleos vegetais insaturados, principalmente o azeite. Evite refeições pesadas e restringir a ingestão de sal moderadamente. Também é importante para a redução do excesso de peso, diminuição do consumo de oxigênio pelo miocárdio, melhorando a classe funcional.

A atividade física.

Exercite-se regularmente mantido melhora a tolerância ao exercício e tem efeitos benéficos no peso, perfil lipídico, pressão arterial e tolerância à glicose. Ser tidos em conta condição prévia física e gravidade dos sintomas, o teste vai orientar os esforços para marcar o nível de atividade. exercícios dinâmicos são recomendadas, de preferência ao ar livre, em ambiente favorável, com aumento muito gradual no exercício (caminhada, ciclismo, natação, etc), evitando a isométrica e aqueles que exigem altos níveis de esforço, e sua aplicação na o período pós-prandial (28,37).

A atividade de trabalho. Como recomendação geral, o paciente pode continuar a desenvolver a sua actividade normal de trabalho, mas devem evitar os esforços físicos que podem levar à angina ou estresse excessivo. Embora a relação do estresse com a doença coronariana é controversa, outros fatores psicológicos podem ser determinantes no aparecimento da angina.

A atividade sexual.

A maioria dos pacientes com angina estável pode manter uma vida sexual satisfatória.Ocasionalmente, a angina pode ser desencadeado, resultando utilização prévia de nitroglicerina sublingual, no entanto, é importante tomar as medidas terapêuticas adequadas para prevenir os sintomas. Quanto ao uso de sildenafil (Viagra) em doentes coronários com disfunção erétil, foi mostrado para potencializar os efeitos hipotensivos dos nitratos e doadores de óxido nítrico nitroglicerina / transdérmico, sendo contra concomitante das duas drogas.

O apoio psicológico.

É importante considerar, dada a ansiedade que resulta no diagnóstico de angina de peito, por vezes, pânico, depressão ou comportamentos obsessivos. programas de reabilitação cardíaca, com avaliação e aconselhamento adequados, propiciar uma sensação de bem-estar dos pacientes e mais rápido retorno às atividades normais, inclusive reduzindo a necessidade de medicamentos ou cirurgia (24).
Fatores que influem na Angina no Peito Fatores que influem na Angina no Peito Revisado by Faça Fisioterapia on 10:37 Nota: 5