Saiba mais sobre a Angioplastia percutânea coronária







O que é a Angioplastia e como é feita - Tua Saúde

A angioplastia é um procedimento de reperfusão que utiliza um balão inflado dentro da artéria obstruída, além de utilizar também uma mini tela de aço (stent) que, aberta, facilita a passagem do sangue.

A angioplastia transluminal coronária (ATC) é usada como forma alternativa de revascularização miocárdica. Ela passou a ser realizada a partir do final de 1977, quando foi realizada, pela primeira vez, por Andreas Gruentzig. A angioplastia coronária foi usada inicialmente em pacientes com doença coronária sintomática de um único vaso e com obstrução nos segmentos proximais da rede coronária.

Com a tecnologia a indicação da angioplastia para situações inicialmente consideradas desfavoráveis, como insuficiência coronária aguda (infarto agudo do miocárdio, angina instável), doença coronária multiarterial ou lesão de anatomia complexa já são totalmente aceitáveis.

A angioplastia percutânea coronária é a modalidade de técnica de reperfusão mais empregada, sendo seus resultados comparáveis aos da cirurgia de revascularização miocárdica. Mesmo com índices de perviedade em longo prazo inferior à revascularização cirúrgica, a angioplastia vem mostrando ser um método alternativo ou complementar, principalmente em casos cujo tratamento cirúrgico é de alto risco. Os “stents” ou fixadores endovasculares também têm sido mais frequentemente indicados, nos casos em que há falha da angioplastia, no tratamento da reestenose pós-angioplastia e em certas lesões arteriais graves.

A dilatação arterial com balão objetiva o aumento do lúmen arterial melhorando a perfusão. No caso de lesões ateroscleróticas o balão proporciona a quebra da placa e afilamento das camadas vasculares.
O acesso vascular geralmente é feito por via femoral, braquial ou axilar. A punção retrógada da artéria femoral é a mais comum, além de ser de fácil punção e de fácil compressão para hemostasia no final do procedimento. Outras vantagens incluem a presença de uma artéria alternativa contralateral, a facilidade de reparo arterial, caso a artéria seja lesionada durante a técnica, a possibilidade de punção anterógrada e a existência de uma de cateteres variados e instrumentos especificamente destinados para introdução neste local. As desvantagens serão consequências das dificuldades que ocorrem na presença de tortuosidades vasculares, estenoses e oclusões.

A punção da artéria braquial/axilar é segunda opção, sendo usada quando as femorais estão inadequadas. A artéria braquial esquerda é a mais utilizada, pois apresenta um risco menor de eventos cerebrovasculares relacionados à presença do cateter no trajeto da origem dos vasos cervicais. A desvantagem nesta artéria é o risco de trombose pelo menor calibre. Na punção axilar a pior complicação é o hematoma na bainha do feixe vasculonervoso, podendo causar neuropraxia braquial.

A punção é feita com agulha e mandril, através do mandril da agulha uma guia é introduzida e avançada até as artérias ilíacas ou a aorta, sob controle fluoroscópio. Caso a guia não progrida, injeta-se contraste pelo mandril da agulha no sentido de se visualizar o percurso arterial. O paciente deve ser anticoagulado com heparina intravenosa e o cateter-balão deve ser introduzido sobre o guia. No local da estenose ou oclusão, o balão é inflado pela injeção através do cateter de solução de contraste iodado e mantido por um período que varia entre 30 segundos e 3 minutos.

O balão é retirado logo a seguir causando à ampliação da luz arterial estenosada, para o diâmetro normal. O procedimento é considerado bem-sucedido quando a obstrução residual pós-dilatação for inferior a 20% e o fluxo distal for normal, na ausência de infarto do miocárdio, morte ou cirurgia de revascularização miocárdica de urgência.
Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

Tenho indicações para você apofundar seus estudos em Cardiologia. Espia só:
  • Sistema Cardiovascular: anatomia e fisiologia
  • Curso de Eletrocardiograma Básico
  • Drive Virtual de Fisioterapia na Cardiologia
  • Curso Online de Fisioterapia Aplicada à Cardiologia


  • Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.