A isquemia do miocárdio é a causa mais comum de distúrbios no ritmo cardíaco. E um dos tipos conhecidos é a Isquemia Silenciosa. É uma síndr...

Tipos de Isquemia Silenciosa


http://1.bp.blogspot.com/-4j7j_6RxaNg/UPyPuFSDmbI/AAAAAAAACLI/gAslb2bqklk/s1600/S%25C3%2581BADO+-+Estudo+da+USP+analisa+atividade+cerebral+de+m%25C3%25A9diuns+na+psicografia.jpg

A isquemia do miocárdio é a causa mais comum de distúrbios no ritmo cardíaco. E um dos tipos conhecidos é a Isquemia Silenciosa.

É uma síndrome coronariana em que não há manifestação clínica anginosa, durante o episódio isquêmico. Divide-se em três tipos:

Tipo I: Tipo menos comum que ocorre nos pacientes com lesões obstrutivas e que nunca apresentaram nenhum episódio anginoso.

Tipo II: Tipo que é diagnosticado após o infarto agudo.

Tipo III: Tipo mais comum, em que há alternância entre episódios isquêmicos sintomáticos, seja do tipo angina estável, instável ou Prinzmetal, e episódios silenciosos.

Durante o teste ergométrico poderão ocorrer alterações isquêmicas sem o aparecimento de sintomas anginosos. É estimado que metade dos pacientes com angina sofra episódios isquêmicos silenciosos, sendo que nos diabéticos essa prevalência deva ser maior. Os mecanismos que estariam envolvidos na ausência de sintomas durante a isquemia não estão bem claros ainda, algumas propostas seriam:

- Neuropatia autonômica nos diabéticos.

- Maior resistência à dor de uma forma geral.

- Aumento da produção de endorfinas nos hipertensos (por possuírem uma maior incidência de isquemia silenciosa que os normotensos).

- Episódios silenciosos seriam menos graves que os anginosos (os receptores de dor não seriam estimulados por agressões menores).

- Pesquisas recentes sugerem a hipótese de não ser a nível periférico a alteração da sensação dolorosa, mas a nível cerebral (córtex frontal).

Quanto ao tratamento alguns autores utilizam as mesmas drogas usadas na doença coronariana em sua forma sintomática, para prevenir os episódios de isquemia silenciosa. A terapia mais eficaz para tratar a isquemia silenciosa não é ainda claramente definida; as experimentações em curso fornecerão a orientação para a gerência futura.

A palavra aneurisma vem do grego e quer dizer dilatação. O aneurisma cerebral é portanto um alargamento, uma dilatação anormal da parede...

Aneurisma cerebral: conceito, sintomas e causas

http://www.tumedico.com.ve/administrador/images/News/sexo-causa-romp-aneurisma-cerebral2.jpg


A palavra aneurisma vem do grego e quer dizer dilatação. O aneurisma cerebral é portanto um alargamento, uma dilatação anormal da parede da artéria. O aneurisma cerebral também é chamado de aneurisma intracraniano, ou aneurisma no cérebro.

O aneurisma cerebral é descoberto normalmente quando ocorre o seu rompimento, causando uma hemorragia cerebral, um sangramento no cérebro, chamado também de hemorragia subaracnóide, ou subaracnoidea, e de AVCH (acidente vascular cerebral hemorrágico) que pode ser grave, fatal, e causar importantes sequelas. A mortalidade de um sangramento secundário a um aneurisma cerebral é alta, 10 a 15% dos casos não chegam ao hospital a tempo, não sobrevivem até receber um primeiro atendimento, outros 50 % podem não resistir até após um mês da ocorrência do sangramento

O tratamento do aneurisma cerebral consiste nas medidas para parar o sangramento cerebral e diminuir as sequelas neurológicas, mas o melhor tratamento quando possível é o de evitar o rompimento deste aneurisma cerebral, através da cirurgia de clipagem deste aneurisma, com uma microneurocirurgia, ou a embolização através de cateterismo, por angiografia cerebral digital, quando molas são colocadas na região interna do aneurisma cerebral.

Os sintomas do aneurisma cerebral roto (hemorragia cerebral) são:

– Dor de cabeça aguda, forte, chamada cefaleia sentinela, pois ela avisa de uma possivel ruptura do aneurisma cerebral, descrita como a pior dor de cabeça da vida da pessoa, caracterizada por um início súbito, explosivo, rapidamente progressiva, diferente das dores de cabeça habituais do indivíduo. A cefaleia é chamada no ingles de thunderclap headache, traduzida como cefaleia do trovão ou trovoada, pois a dor de cabeça é tão forte e aguda que lembra mesmo o paciente de uma paulada na cabeça.

– Desmaio, perda da consciencia

– Nausea, vomitos

– Visão dupla ou borramento visual

– Pupilas dilatadas

– Pescoço duro, rígido

– Perda de força em uma metade do corpo

Os sintomas do aneurisma cerebral não roto, quando não ocorreu a ruptura ou sangramento são:

– alteração visual, da fala,

– mudanças de comportamento, perda de memoria, concentração

– perda da coordenação, equilíbrio

– cefaleia do esforço

As causas do aneurisma cerebral são diversas, mas todas envolvem uma fraqueza da parede da artéria. Isto ocorre por aterosclerose, envelhecimento, predisposição e doençasw que podem afetar as artérias como doenças inflamatórias, infecciosas e reumáticas. Os aneurismas cerebrais podem ser congênitos, quando são também de origem familiar, genética.

Os fatores de risco para aneurisma cerebral são: história na família de aneurisma cerebral, sexo feminino (duas vezes mais na mulher que no homem). Negros e orientais podem ter mais aneurismas cerebrais que broncos. Fatores de risco para doença cardiovascular como a hipertensão (pressão alta) e o tabagismo também são importantes

Fonte

Faça Fisioterapia