Exercício físico 1ª semana após infarto acelera recuperação









É o que indica pesquisa de cientistas da Universidade de Alberta, no Canadá

Praticar exercícios apenas uma semana após sofrer um ataque cardíaco pode melhorar a recuperação do paciente. Segundo pesquisadores da Universidade de Alberta, no Canadá, começar atividades físicas leves, mas frequentes, sete dias após o problema pode ser mais eficiente para a recuperação da saúde do coração do que ficar de repouso um mês ou mais. A pesquisa foi publicada no jornal científico Trials.

Estudos anteriores já demonstravam os benefícios do esporte para a saúde do coração. Isso acontece porque, ao melhorar o condicionamento físico, o exercício acaba por beneficiar a musculatura do coração e a capacidade aeróbica do paciente. “Para cada semana de atraso no início dos exercícios, foi necessário o acréscimo de cerca de um mês de atividades físicas no tempo de tratamento para se obter os mesmo resultados”, diz Alex Clark, um dos responsáveis pelo estudo. O especialista completa ainda que as melhores recuperações foram vistas com, no mínimo, seis meses de exercícios físicos após o ataque cardíaco.

Os médicos, no entanto, fazem um alerta. A pesquisa não deve servir como um sinal verde para que se comece a fazer atividade física sem orientação médica. Alguns pacientes, por exemplo, podem não estar com a condição cardíaca estável e, ao se forçar a praticar algum tipo de esporte, acabam por colocar a saúde em risco.
Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

Tenho indicações para você apofundar seus estudos em Cardiologia. Espia só:
  • Sistema Cardiovascular: anatomia e fisiologia
  • Curso de Eletrocardiograma Básico
  • Drive Virtual de Fisioterapia na Cardiologia
  • Curso Online de Fisioterapia Aplicada à Cardiologia


  • Poste um Comentário

    Tecnologia do Blogger.