Um estudo publicado na semana passada no periódico Heart sugere que uma frequência cardíaca mais elevada durante o repouso é um predit...

Frequência cardíaca elevada em repouso é associada a risco de morte




Um estudo publicado na semana passada no periódico Heart sugere que uma frequência cardíaca mais elevada durante o repouso é um preditor independente de mortalidade – mesmo em pessoas saudáveis e em boa condição física.

Pesquisadores dinamarqueses efetuaram exames físicos, iniciados em 1971, em 5.249 homens saudáveis de meia-idade e idosos. Em 1985 e 1986, eles rastrearam os sobreviventes, dos quais havia 3.354. Destes, 2.798 tinham dados suficientes sobre a frequência cardíaca e o consumo de oxigênio para a análise. Os pesquisadores os acompanharam até 2011.

Depois do controle para aptidão física e muitos outros fatores, foi descoberto que quanto maior a frequência cardíaca no repouso, maior o risco de morte. Em comparação com os homens com índices de 50 batimentos por minuto ou menos, aqueles com batimentos entre 71 e 80 apresentaram um risco de morte 51 por cento maior. Entre 81 e 90 batimentos, a taxa de mortalidade foi duplicada, e acima de 90 foi triplicada.

"Se você tem duas pessoas saudáveis", disse o autor principal, Magnus Thorsten Jensen, pesquisador do Hospital Gentofte da Universidade de Copenhagen, "exatamente com a mesma idade, condicionamento físico, pressão arterial e assim por diante, a pessoa com a maior frequência cardíaca no repouso será mais propensa a ter uma vida mais curta".

Bradicardia significa que seu ritmo cardíaco é lento ou irregular. Ela pode causar tontura ou falta de ar durante atividades normais ou exe...

Bradicardia (Ritmo Cardíaco Lento)


Bradicardia significa que seu ritmo cardíaco é lento ou irregular. Ela pode causar tontura ou falta de ar durante atividades normais ou exercícios leves.
Definição

A bradicardia é definida como um ritmo cardíaco lento ou irregular, geralmente de menos de 60 batidas por minuto. Nesse ritmo, o coração não é capaz de bombear sangue rico em oxigênio suficiente para o seu corpo durante atividades normais ou exercícios.
Causas

As causas comuns da bradicardia incluem:

Defeito cardíaco hereditário
Certas doenças ou medicamentos para o coração
O processo de envelhecimento natural
Tecido cicatrizado de um ataque cardíaco
Síndrome do seio enfermo (ou disfunção do nódulo sinusal)
O marca-passo natural do coração não está funcionando corretamente


Bloqueio cardíaco
O pulso elétrico que viaja das câmaras superiores às inferiores do coração é irregular ou está bloqueado
Sintomas

Os sintomas da bradicardia incluem tontura, desmaios, cansaço extremo e falta de ar.


Fatores de Risco

Seu risco de desenvolver um ritmo cardíaco anormalmente lento (bradicardia) será maior se você:

Tiver certos tipos de doença cardíaca
Estiver tomando certos remédios
Tiver 65 ou mais anos de vida
Tiver sido recentemente submetido a cirurgia cardíaca
Diagnóstico

Somente seu médico poderá dizer se você tem bradicardia e o quanto o problema progrediu. Para excluir ou confirmar o diagnóstico de bradicardia, um ou vários destes testes diagnósticos deve ser pedido, dependendo do problema de ritmo cardíaco suspeitado:
Eletrocardiograma (ECG)
ECG em exercício ou teste de estresse
Monitor Holter (ECG de 24 a 72 horas)
Teste de inclinação ortostática
Estudo de Eletrofisiologia (EP)

O seu médico também pode usar um dispositivo de monitoramento para melhor entender a causa de episódios de desmaio inexplicados. Esses dispositivos de monitoramento incluem:
Registrador de eventos externo (External loop recorder)
Registrador de eventos implantável

É o que indica pesquisa de cientistas da Universidade de Alberta, no Canadá Praticar exercícios apenas uma semana após sofrer um ataque ...

Exercício físico 1ª semana após infarto acelera recuperação



É o que indica pesquisa de cientistas da Universidade de Alberta, no Canadá

Praticar exercícios apenas uma semana após sofrer um ataque cardíaco pode melhorar a recuperação do paciente. Segundo pesquisadores da Universidade de Alberta, no Canadá, começar atividades físicas leves, mas frequentes, sete dias após o problema pode ser mais eficiente para a recuperação da saúde do coração do que ficar de repouso um mês ou mais. A pesquisa foi publicada no jornal científico Trials.

Estudos anteriores já demonstravam os benefícios do esporte para a saúde do coração. Isso acontece porque, ao melhorar o condicionamento físico, o exercício acaba por beneficiar a musculatura do coração e a capacidade aeróbica do paciente. “Para cada semana de atraso no início dos exercícios, foi necessário o acréscimo de cerca de um mês de atividades físicas no tempo de tratamento para se obter os mesmo resultados”, diz Alex Clark, um dos responsáveis pelo estudo. O especialista completa ainda que as melhores recuperações foram vistas com, no mínimo, seis meses de exercícios físicos após o ataque cardíaco.

Os médicos, no entanto, fazem um alerta. A pesquisa não deve servir como um sinal verde para que se comece a fazer atividade física sem orientação médica. Alguns pacientes, por exemplo, podem não estar com a condição cardíaca estável e, ao se forçar a praticar algum tipo de esporte, acabam por colocar a saúde em risco.

A hipertensão arterial ou, simplesmente,pressão alta é gatilho certo para uma série de males -- e não só aqueles que envolvem o sistema c...

10 maneiras de evitar e controlar a pressão alta



A hipertensão arterial ou, simplesmente,pressão alta é gatilho certo para uma série de males -- e não só aqueles que envolvem o sistema circulatório. "Normalmente, um paciente com pressão igual ou superior a 140/90mmHg é diagnosticado como hipertenso. São pessoas mais sujeitas a sofrer com falhas no coração, nos rins e até no cérebro" explica o cardiologista Enéas Rocco.

A doença é crônica (não tem cura, mas pode ser controlada) e, por isso, é importante fazer exames regulares para detectar como andam seus batimentos cardíacos. Mas atenção: ter pressão alta não é sinônimo de ser hipertenso.

"Para ser considerado hipertenso, o paciente tem de permanecer com a pressão mais alta do que o normal" , diz o médico. Isso porque, momentaneamente, qualquer pessoa está sujeita a uma variação na freqüência cardíaca. Um esforço físico mais intenso ou momentos de estresse, por exemplo, alteram esses números.

Algumas atitudes, no entanto, ajudam não só a prevenir o problema como controlam níveis já elevados de pressão. Confira a seguir uma lista delas e imprima uma marca saudável ao seu dia a dia.

1. Manutenção do peso ideal- o sobrepeso aumenta dificulta o esforço do coração para conseguir bombear o sangue. Na prática, o músculo é exigido demais. "Como o bíceps de quem levanta peso, o coração de uma pessoa obesa acaba hipertrofiado" , explica o cardiologista. Com um risco: as lesões causadas pelo esforço excessivo podem se tornar irrecuperáveis.

2. Prática de atividade física atividades físicas regulares, principalmente as aeróbias, contribuem para a melhora de todo o sistema circulatório e pulmonar. Só tome cuidado com os exageros: antes de começar qualquer treino, procure um especialista e faça uma avaliação geral.

3. Redução de sal - o excesso de sal na dieta leva à retenção de líquidos, acarretando a hipertensão. Por isso, maneire na hora de temperar a comida e diminua o consumo de enlatados e alimentos em conserva.

4. Evitar bebidas alcoólicas o álcool em grande quantidade é inimigo feroz da pressão sob controle. Corte as bebidas da sua dieta ou consuma com muita moderação.

5. Dieta saudável gorduras saudáveis e pouco sal são medidas indispensáveis na dieta de quem quer manter o coração saudável. Inclua ainda muitas frutas, verduras e legumes. Cortar a carne não é preciso, mas dê preferência aos cortes magros como filé mignon e músculo.

6. Medicamentos se o médico recomendou, não deixe de tomar. Mas nada de sair por aí imitando a receita alheia. Vale lembrar que alguns medicamentos podem elevar a pressão, como os antiiflamatórios e anticoncepcionais, ressalta o cardiologista.

7. Cigarro o tabaco, em conjunto às outras substâncias tóxicas do cigarro, eleva a pressão imediatamente além de comprometer toda sua saúde. Parar de fumar imediatamente é fundamental , alerta o professor de Cardiologia da Santa Casa de São Paulo, Ronaldo Rosa.

8. Estresse - ele aparece como resposta do organismo às sobrecargas físicas e emocionais, acarretando a hipertensão e doenças do coração. Controle suas emoções e procure incluir atividades relaxantes na sua rotina.

9. Exames médicos avaliações regulares não só ajudam a identificar o problema no começo, facilitando o tratamento, como servem para adequar o uso de medicamentos de forma mais eficaz.

10. Medir a pressão no mínimo uma vez por ano, todas as pessoas devem fazer isso. A recomendação é da Sociedade Brasileira de Hipertensão, que alerta para esse simples exame como uma forma de prevenir problemas mais sérios

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é o aumento da pressão arterial (PA), ou seja, a força exercida pelo sangue contra as paredes arte...

Tratamento Fisioterapeutico para hipertensos



A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é o aumento da pressão arterial (PA), ou seja, a força exercida pelo sangue contra as paredes arteriais durante um ciclo cardíaco. Acomete o sistema nervoso central, o sistema renal e a atividade cardiovascular.Ela atua diferentemente em cada individuo.Tanto homens,mulheres, negros,brancos, jovens, idosos, diabéticos e outros. A hipertensão é seis vezes mais freqüente em indivíduos de meia-idade e idosos do que em jovens, contudo, algumas crianças ou jovens adultos podem apresentar a hipertensão caso tenham alguma cardiopatia ou algum problema hereditário.Com o aumento da PA pode houver aumento de dano nas artérias causando uma AVC, uma insuficiencia renal até mesmo uma diminuição da visão. Existem dois modos de tratamento.O farmacólogico e o fisiológico.

No tratamento qualquer profissional deve avaliar a situação de seu paciente, sendo este sempre individual devido ao diferente modo de atuação da HAS em cada pessoa . O profissional deve indicar ao paciente exercícios de duração, intensidade e frequencia ideais para o melhoramento de sua doença e conseqüente adaptação de seu organismo.Com estes sendo feitos com qualidade e adequadamente os niveis de PA em repouso podem melhorar fazendo o paciente diminuir a dosagem dos seus medicamentos ou ate mesmo deixar sua PA controlada dependendo o caso sem uso de farmacológicos.

O Fisioterapeuta quando integrado neste tratamento além de promover a promoção da saúde, realiza formas de tratamento particulares, onde ele pode tratar principalmente os idosos, que nao tem mais tantas capacidades motoras não podendo eles fazer exercícios sem auxílio.Com o controle do fisioterapeuta este idoso pode ter um controle semanal fazendo a sua PA ser controlada em repouso diminuindo a fraquencia cardíaca e prevenindo uma complicação como uma AVC ou insufiência renal.

Porém, o trabalho do fisioterapeuta em tratamentos em (HAS) é pouco divulgado,a figura do medico sempre parece mais presente,o fisioterapeuta aparece em um segundo plano

Os hábitos inadequados como o excesso de peso, alcool, inatividade fisica podem causar uma HAS em qualquer um e complicar a manutenção de um tratamento no paciente.Portanto uma boa alimentação é o primeiro passo para uma boa prevenção.O estimulo há atividade deve ser o primeiro modo de promoção para uma saúde melhor.Os profissionais da saúde e fisioterapia devem estar atualizados a respeito desses conceitos para que possam desenvolver estratégias para o estímulo e a manutenção da pratica de exercícios.A atividade de modo avaliada e acompanhada é o modo mais seguro para os hipertensos melhorar o seu dia-a-dia com muita saúde e segurança.

A fisioterapia é um ramo da ciência que traz benefícios para a nossa saúde. É ela quem recupera um paciente acidentado, com problemas de t...

Fisioterapia ajuda pacientes com risco de infarto



A fisioterapia é um ramo da ciência que traz benefícios para a nossa saúde. É ela quem recupera um paciente acidentado, com problemas de torção ou quebra de ossos, que necessitam ficar algum tempo engessados ou imobilizados para a recuperação. E quando estão prontos para retirar o gesso, a fisioterapia entra como uma outra recuperação. Agora, dos movimentos.

Essa é uma das funções mais conhecidas da fisioterapia. O que pouca gente sabe, no entanto, é que ela tem, inclusive, eficácia na prevenção do infarto. Ela pode verificar as condições de um paciente.

Existem algumas doenças e hábitos que são fatores de risco para o infarto: diabetes, sedentarismo, hipertensão, tabagismo, obesidade etc. Para combatê-los, as atividades físicas são uma saída. Mas antes de começar com exercícios, o ideal é fazer exames de saúde e fisioterápicos para conhecer suas condições.

Os exames são simples. Enquanto o paciente faz exercícios, os fisioterapeutas podem monitorar seus batimentos cardíacos e sua respiração, para que ele não ultrapasse seus limites. O profissional ficará de olho em qualquer sinal ou sintoma que possa prejudicar o paciente na hora dos exercícios físicos.


Quando iniciar um programa de exercícios, procure um médico para verificar suas condições físicas. Mas se você também buscar a ajuda de um fisioterapeuta, sua avaliação estará ainda mais completa

Faça Fisioterapia