Reconhecendo um indivíduo hipertenso


>




Ela é definida como sendo uma pressão arterial elevada , sendo a pressão arterial média maior que a faixa superior da normalidade aceita.

Existem alguns problemas que são enfrentados pela sociedade hoje com relação a hipertensão:

• mais da metade das pessoas com Hiperpressao Arterial não sabem do problema e por isso, não recebem tratamento adequado;
• mais da metade das pessoas que sabem que são hipertensas abandonam o tratamento
• as pessoas que estão em tratamento muitas vezes não tem atendimento correto, correndo o risco de complicações como: infarto do miocárdio, angina do peito, insuficiência cardíaca, hipertrofia do coração, complicações cerebrais (AVC) ou renais (insuficiência renal)...

Os níveis de hipertensão sofrem alterações com o aumento da idade, então, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), existem alguns critérios na consideração da Hiperpressao arterial, ou seja, um limite crítico de 160/95 mmHg de pressão arterial.


A PA sistólica estando entre ou maior que 140-159mmHg e a PA diastólica entre 90-94mmHg ou maior que isso, apresentam riscos cardiovasculares e são prováveis hipertensos..
Indivíduos que apresentam PA sistólica menor que 160mmHg e PA diastólica menor que 95mmHg são considerados como normotensos.

A Hipertensão Arterial também pode ser classificada de acordo com os risco que representa:

• baixo risco não apresenta fatores agravantes associados
• médio risco: hipertensão leve ou moderada com fatores agravantes como: estreitamento focal das artérias, aumento da creatinina do plasma, obesidade, diabete controlada, uso de anticoncepcional.
• alto risco: hipertensão moderada ou grave com agravantes como: insuficiência do ventrículo esquerdo, hemorragia cerebral, angina, infarto e diabetes descontrolada.

A hipertensão arterial sistólica isolada também determina maior risco cardiovascular. A sua ocorrência é predominantemente em pessoas mais velhas e a maior probabilidade do aparecimento de manifestações conseqüentes ao tratamento implicam o uso de medicamentos em doses menores e diminuição dos níveis da Pressão arterial conseguida mais lentamente e sob maior controle médico. Essas características dificultam a padronização de condutas e justificam o tratamento mais individualizado. Por essa razão, a maioria das condutas baseiam-se na elevação da PA diastólica.

Os efeitos letais da hipertensão são causados principalmente de 3 formas:

1)a excessiva carga de trabalho leva o coração ao desenvolvimento precoce de cardiopatias congestivas e ou coronárias, causando mortes frequentes por ataque cardíaco
2) a pressão elevada pode romper um vaso sanguíneo no cérebro, seguido de coagulação do sangue e morte das regiões importantes do cérebro ( “infarto cerebral”), clinicamente denominado AVC (derrame). Dependendo da parte do cérebro envolvida, o AVC pode causar, paralisia, demência, cegueira ou vários distúrbios cerebrais graves
3) a PA muito elevada causa quase sempre múltiplas hemorragias nos rins, produzindo várias áreas de destruição renal, e por fim, insuficiência renal, uremia (falta de urina) e morte.
4) pode ocorrer também um acúmulo excessivo de líquido extracelular no corpo, devido ao mecanismo rim-volume líquido corporal na regulação da PA estar deficitário, provocando uma hipertensão por sobrecarga de volume.

É considerado indivíduo hipertenso:

• indivíduo com 20 anos ou mais
• que apresenta PA sistólica igual ou maior que 160mmHg
• e PA diastólica igual ou maior que 95mmHg
• essas Pressões arteriais devem ser obtidas em pelo menos 2 verificações feitas em dias diferentes

Nas gestantes, são considerada hipertensas aquelas que tiverem um aumento de 15mmHg na PA diastólica quando comparada as PA anteriores.
Reconhecendo um indivíduo hipertenso Reconhecendo um indivíduo hipertenso Revisado by Faça Fisioterapia on 11:18 Nota: 5