Saiba mais sobre a aneurisma da aorta abdominal


>



A aorta é a maior e principal artéria do organismo. Ela recebe todo o sangue ejetado do ventrículo esquerdo do coração, distribuindo-o para todo o corpo, com exceção dos dois pulmões. A aorta ramifica-se em artérias menores ao longo de seu trajeto, desde o ventrículo esquerdo até a parte inferior do abdômen, ao nível da porção superior do osso do quadril.

Sua parede apresenta três elementos principais: a íntima (revstimento interno em contato direto com o sangue), a camada média (muscular) e a adventícia (camada mais externa).O diâmetro  normal da aorta varia de 2 até 2,5 cm. As doenças da aorta incluem os aneurismas (dilatações em regiões frágeis de sua parede), ruptura da aorta , hemorragia e a dissecção aórtica (separação da camadas de sua parede por entrada de uma coluna de sangue). Qualquer um desses distúrbios pode ser imediatamente fatal .

O sangue que deixa o coração através da aorta chega a todas as regiões do organismo, excetuando-se os dois pulmões. A aorta também costuma ser um dos primeiros locais a ser acometido pela aterosclerose , doença que pode contribuir para o aparecimento de outras, como as citadas acima.

Aneurismas da aorta 

Um  aneurisma da aorta (AA) é uma saliência (dilatação) na parede da artéria aorta, geralmente ocorrendo em uma parte enfraquecida da parede da artéria. Embora possam ocorrer em qualquer local ao longo da aorta, três quartos desses AA ocorrem no segmento abdominal (parte da aorta abaixo do tórax , na cavidade abdominal).Os AA são decorrentes principalmente da aterosclerose ( formação de placas de gordura ou ateromas , na parade da artéria).

A aterosclerose enfraquece suficientemente a parede da aorta até a pressão intra-arterial provocar a dilatação. Frequentemente, ocorre a formação de um coágulo sanguíneo (trombo) dentro do aneurisma, o qual pode disseminar-se ao longo de toda a parede. A hipertensão arterial (pressão alta) ,  tabagismo ,  traumatismos, doenças inflamatórias da aorta, distúrbios hereditários do tecido conjuntivo (como as síndromes de Marfan e a de Enlers-Danlos) e a sífilis, são doenças que predispõem à formação de AA.

No caso da síndrome de Marfan, o aneurisma pode desenvolver-se principalmente na aorta ascendente (o segmento que sai diretamente do coração).Os aneurismas também podem desenvolver-se em outras artérias que não a aorta . Muitos deles são decorrentes de uma debilidade congênita ou da aterosclerose  e, outros , são devidos a lesões causadas por arma branca ou por arma de fogo ou por infecções bacterianas ou fúngicas na parede arterial. Geralmente, a infecção começa em uma outra região do corpo, mais comumente em uma válvula cardíaca (endocardite infecciosa).

Os aneurismas infectados das artérias cerebrais são particularmente perigosos e exigem um tratamento precoce. Freqüentemente, o tratamento inclui a reparação cirúrgica ou o implante de pequenas molas que ocupam a região do aneurisma , evitando um rompimento.

Aneurismas da aorta abdominal 

Os  aneurismas da aorta abdominal (AAAb)  são localizados no segmento da aorta que passa pelo abdômen tendem a ocorrer em uma mesma família. Mais frequentemente, esses aneurismas desenvolvem-se em pessoas com hipertensão arterial. Esses aneurismas frequentemente atingem mais de 7 centímetros e podem romper.

- Sinais e sintomas:

Muitas vezes o AAAb é totalmente assintomático, mesmo quando suas dimensões são consideráveis. Um indivíduo com AAAb frequentemente começa a perceber uma espécie de pulsação no abdômen. O AAAb pode causar dor, geralmente uma dor profunda e penetrante, sobretudo na região dorsal , próximo à coluna. A dor pode ser intensa e constante, embora ela possa ser aliviada com a mudança de posição.

Geralmente, o primeiro sinal de uma ruptura é uma dor intensa na região inferior do abdômen e nas costas e uma maior sensibilidade na área sobre o aneurisma. No caso de um sangramento interno grave, o indivíduo pode entrar rapidamente em choque (queda abrupta e intensa da pressão arterial ). Um AAAb roto é frequentemente fatal.

- Diagnóstico:

A dor é um sintoma diagnóstico muito útil, mas que surge tardiamente. No entanto, muitos indivíduos com AAAb não apresentam sintomas e são diagnosticadas por acaso, durante um exame físico de rotina ou através de ecografias ou radiografias realizadas por outra razão qualquer. O médico pode sentir uma massa pulsátil na linha média do abdômen. Os AAAb de crescimento rápido, que estão prestes a romper, frequentemente doem espontaneamente ou quando são pressionados durante o exame da região abdominal.

Nos indivíduos obesos, mesmo aneurismas grandes podem passar desapercebidos. Uma radio X do abdômen pode revelar um AAAb que possui depósitos de cálcio em sua parede. Frequentemente um simples exame ecográfico (que utiliza ondas de ultrassom ), revela com nitidez o tamanho do AAAb. A tomografia abdominal da aorta (angiotomografia), principalmente quando realizada após a injeção intravenosa de um contraste, é ainda mais precisa na determinação do tamanho e da forma do AAAb. A angiorressonância magnética também é precisa, porém é mais cara que a ecografia abdominal, sendo raramente necessária.

- Tratamento:

A menos que o AAAb esteja rompendo, o tratamento dependerá de seu tamanho. Um aneurisma com menos de 5 centímetros de largura raramente se rompe, mas quando é maior do que 6 centímetros, a ruptura é uma ocorrência bem mais comum. Por essa razão, os médicos geralmente recomendam a cirurgia para aneurismas com mais de 5,5 centímetros de largura, a menos que o procedimento seja arriscado demais por outras razões médicas. A cirurgia consiste na colocação de um enxerto sintético para reparar o aneurisma. O índice de mortalidade decorrente desse tipo de cirurgia é de aproximadamente 2%.

A ruptura ou a ameaça de ruptura de um aneurisma abdominal exige uma cirurgia de emergência. O risco de morte durante uma cirurgia para um aneurisma roto é de aproximadamente de 50%. Quando ocorre a ruptura de um aneurisma, os rins apresentam risco de lesão em função do comprometimento da irrigação sanguínea ou do choque , relacionado à perda maciça de sangue. Caso ocorra insuficiência renal após a cirurgia, a probabilidade de sobrevivência é muito baixa. Um aneurisma roto e não tratado sempre é fatal.

Outra possibilidade de tratamento do AAAb é a colocação de uma endoprótese , estrutura metálica que é aberta dentro da porção doente da aorta , impedindo que no futuro esta se rompa. A vantagem do implante da endoprótese é o  baixo risco do procedimento  e a rápida recuperação dos pacientes.



Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia

Share on Google Plus

About Faça Fisioterapia

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment